sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Abrigo Fechado e 52 animais vão para adoção!

Após fechamento de abrigo em São José, 52 animais estão à disposição para a adoção


Todos já foram castrados e tratados por veterinários

O fechamento de um canil em São José, nesta semana, ganhou as redes sociais e sensibilizou dezenas de protetores de animais de toda a Grande Florianópolis. Ao mesmo tempo em que comemoram o fim das atividades no local, eles também se veem diante de um novo e ousado desafio: promover um mutirão para adotar cada um dos 52 animais retirados de lá nos últimos três meses.
Resgatados por cerca de 10 voluntários, os 50 cães e dois gatos que habitavam o chamado Canil São José foram castrados e levados para hospedagens, onde recebem tratamento veterinário e se recuperam da desnutrição. Os voluntários acusam o diretor do local, o secretário de Saúde de São José, Carlos Acelino Pereira, de abandono e negligência com os animais que mantinha lá.
— A maioria estava doente, com sinomose, sarnas e carrapatos. Estavam desnutridos, alguns machucados e em carne viva — denuncia uma delas, que prefere não se identificar.
Para cuidar deles agora, ela e os outros voluntários dividem os gastos, que são obtidos por meio de brechós e repartido com padrinhos. O fechamento oficial do Canil São José foi confirmado terça-feira, quando a última cadelinha — Lolita — foi retirada do local. Ela e Celine, adotada na noite anterior, foram levadas para uma hospedagem, bancada pela mesma madrinha.
Procurado pela reportagem, Carlos Acelino não quis falar sobre o assunto.

Outro canil também preocupa

Depois da adoção, um novo desafio já espera os protetores de animais envolvidos na causa. É quando eles devem voltar as atenções para outro canil, a três quilômetros do antigo e mantido pelo mesmo diretor.
O local abriga cerca de 60 cães, separados por boxes de arame. Circulando em meio a montes de lixo, nem todos têm água e comida à disposição. Segundo os vizinhos do terreno, um funcionário costuma visitar o local pela manhã, mas é comum os animais ficarem quatro ou cinco dias sem alimento algum. Além disso, o acesso liberado fez com que o local se tornasse um depósito de cães: com frequência é possível flagrar carros passando por ali e jogando animais por cima da cerca.
— Eles estão meio abandonados aqui. Às vezes, bebem a água da vala que passa lá atrás, porque não tem mais nada. Sinto pena — conta homem que mora ao lado.

Promotoria deve investigar


Um inquérito civil público aberto há cerca de um ano na 10ª Promotoria de Justiça de São José deve apurar as condições de estrutura e situação dos animais em quatro canis particulares do município josefense, sendo um deles o do Bairro Potecas. A investigação deve ser concluída ainda neste ano.



Fonte: Clic RBS

Nenhum comentário: