segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Comunidade se junta e constrói passarelas em Penha

Comunidade se junta e constrói passarelas em Penha


Estruturas foram erguidas na Praia Grande para proteger a vegetação nativa


A Associação de Surfe e Amigos da Praia Grande (Asapg), em Penha, tomou a iniciativa de construir passarelas de acesso à praia, um sonho antigo que tem como objetivo proteger a vegetação da restinga, importante ecossistema que protege a faixa de areia quando chega a época das ressacas e maré alta. Além disso, oferecem conforto e segurança, pois os caminhos existentes eram precários e geravam riscos aos frequentadores da praia, principalmente crianças e idosos.


Pensando nisso, a associação contratou um carpinteiro, comprou madeira de pinus tratado e juntou mão de obra voluntária dos associados para dar início às obras. Depois, o comércio local, os moradores e os veranistas foram procurados para ajudar no rateio das despesas. No início, o objetivo era fazer apenas uma passarela, mas tamanho foi o apoio recebido que a entidade encorajou-se em fazer outras três, cujas despesas foram pagas integralmente pela comunidade. Nem por isso abriu-se mão da qualidade, pois as madeiras possuem garantia de 10 anos e a estrutura foi especialmente reforçada para que suporte tráfego intenso.

Dentre os voluntários havia hoteleiros, oceanógrafos, professores, policial, enfim, pessoas que doaram seu tempo para uma causa coletiva. Um exemplo para a comunidade e para as crianças, que viram os pais engajados em uma causa sadia.

A Praia Grande está inserida num cenário de história secular e muita beleza natural, ao lado da histórica Armação de Itapocorói. A Asapg existe há 11 anos e se destacou por se envolver com o incentivo ao esporte, principalmente o surfe, tendo organizado diversos campeonatos. Mas na visão da associação, o trabalho em prol do meio ambiente requer sempre uma atenção mais urgente, sendo que durante o ano acontecem mutirões de limpeza das praias e distribuição de mudas de árvores.

Embora haja uma diretoria formalizada, todos participam de maneira igualitária quando o objetivo é uma causa coletiva.

_ Em tempos de tanto egoísmo e busca por propósitos pessoais, a associação acaba sendo um oásis de altruísmo e voluntariado pelas causas da comunidade. As passarelas causaram um aspecto de praia bem cuidada _ destaca o presidente Renato Amorim.

Agora, com as passarelas concluídas surgiu a ideia de batizar as mesmas com nomes de personagens importantes da história da Praia Grande. Assim, a primeira recebeu o nome Passarela do Gonzaga, depois veio a Passarela do Quintino, em seguida Passarela Tia Lola e, por último, Passarela Dona Nena.

_ Entendemos que o importante, de fato, são as passarelas, mas as homenagens agregam valor, pois são personagens que fizeram parte da história do lugar _ finaliza o presidente.

Fonte: ClicRBS

Nenhum comentário: